O choro e os bebés.

Após o parto existem receios gigantes que preocupam todos os papás, as noites sem dormir e o choro, mas existe algo ainda mais preocupante. O choro constante e inconsolável que nem sempre consegue ser interpretado pelos pais.
Mas então os pais questionam, não é suposto o meu bebé chorar?
Claro que sim, até porque esta é a única forma de comunicação que existe entre o recém-nascido e o mundo circundante.

Mas quando é suposto o bebe chorar?

  1. Quando tem fome;
  2. Quando tem calor nem frio;
  3. Quando tem a fralda suja.

Mas se o choro continua inconsolável depois disto tudo, existem duas questões pertinentes que devem ser avaliadas. As cólicas e o refluxo gastroesofágico.

O que é o refluxo?

No refluxo o bebé bolça ou não em jato, alguma quantidade ou nos piores casos a maior parte do leite ingerido. Há ainda um tipo de refluxo que é oculto onde o leite não chega a ascender o suficiente para chegar à boca. Se contínuo, poderá consequentemente causar inflamação das vias aéreas superiores.

Este tipo de patologia pode ocorrer em bebés amamentados ou alimentados com fórmula. Quando ocorre o bebé pode ficar perturbado durante e/ou após a mamada, chegando até a combater a mama. Esta situação causa um incómodo não só para o bebé como para os pais.

Os sinais e sintomas mais comuns são:

  • Dor ou desconforto ao mamar (chora, recusa o leite, arqueia as costas);
  • Vomita/bolça/tem soluços frequentemente;
  • Tosse muito, mesmo sem sinais de constipação/gripe;
  • Acorda muitas vezes durante a noite, especialmente depois de 45 a 60 minutos após adormecer;
  • Respiração com barulhos;
  • Arqueia as costas, puxa as pernas e o corpo fica “rijo/tenso”;
  • Perde peso ou tem bastante dificuldade em aumentar de peso;
  • Regurgitação e/ou “mastigar” sem nada na boca;
  • O refluxo oculto não é tão percetível. O bebé parece angustiado quando não está verticalizado e tem tosse persistente.

No caso das cólicas:

  • Os sintomas por norma começam a ser sentidos na segunda semana de vida, ou antes;
  • O choro inconsolável e agitação dura algumas horas, piora no final do dia ou início da noite;
  • O bebé parece instável, nervoso e tem dificuldades em dormir;
  • Apresenta sinais de desconforto, dobrando-se quando chora, fecha as pernas e os braços e até mesmo os punhos;
  • Gases excessivos e explosivos, ruídos intestinais, barriga dura e em balão.

As cólicas são, depois do refluxo (bolçar), um dos problemas mais comuns no bebé.

A osteopatia pode ajudar libertando desconfortos e estruturas que estão na base destas alterações do bebé, através de técnicas suaves que promovem o seu conforto e bem-estar.

O tratamento multidisciplinar será sempre o melhor método, sendo que a osteopatia não substitui a visita ao pediatra.

Se esta situação é-lhe familiar ou tem alguma questão deve procurar um osteopata pediátrico.